INRI CRISTO responde ao G1 sobre o “Natal”

INRI CRISTO elogia o Papa, mas critica o Natal: ‘O peru acaba pagando o pato’

Líder disse que o consumismo ‘humilha’ as pessoas pobres. Ele afirmou que responde a e-mail de internautas neste dia.

Raquel Morais, do G1 DF

Mesmo proclamando-se a reencarnação de Jesus, INRI CRISTO criticou as celebrações deste 25 de dezembro. “Não tenho motivo nenhum para comemorar Natal. Primeiro porque é uma data em que os pagãos adoravam o Sol, não tem nada a ver com nascimento de Cristo, e, segundo, porque nessa época do ano os pobres são humilhados pelos ricos quando não têm recursos para atender ao pedido de um filho e muitas vezes recebem uma esmola, uma migalha.”

“Também não se deve culpar o peru e assassiná-lo só porque o imperador Constantino introduziu essa data do ritual pagão aos cristãos. O peru acaba pagando o pato quando os seres humanos se comprazem em ser escravos de fantasias pseudometafísicas e gravitam em torno de uma mesa esperando a hora do banquete, quando na realidade o peru é inocente, podia muito bem estar quieto no seu canto fazendo glu-glu-glu”, completou.

O homem fez, no entanto, elogios ao Papa Francisco e afirmou ter recebido pela primeira vez um “presente” nesta data, quando o líder da Igreja Católica afirmou que o Vaticano sofre “Alzheimer espiritual”. Inri é o líder da Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade, sediada no Gama, região administrativa do Distrito Federal.

“Meu Pai, Senhor e Deus, que escreve direito mesmo que por linhas tortas, nessas longas décadas em que estou aqui cumprindo minha missão, pela primeira vez propiciou que eu recebesse um presente nesta data fictícia”, declarou.

“Ele [Papa] racionalmente reconheceu a enfermidade dos que vivem em Roma. Olhei bem e vi que ele estava inspirado ao advertir sobre a ‘esquizofrenia existencial’, o ‘Alzheimer espiritual’ etc. essas doenças todas que estão imperando na cidade das sete colinas”, completou o líder. “Tinha que surgir da América do Sul justo um argentino para reconhecer que a árvore está enferma e mostrar a verdade perante os europeus, ao mundo, à humanidade.”

Para quem evoca a imagem de Jesus acompanhado de seguidores nesta data especial, outra surpresa: Inri afirmou que vive o Natal como qualquer outro dia, inclusive respondendo e-mails de internautas. Os desejos dele são para que as pessoas “acordem”. Ele não poupa críticas.

“Essa data me emociona no sentido contrário quando vejo as crianças pobres sendo rebaixadas ao assistir pela mídia os atrativos do consumismo que só os ricos podem usufruir. Eu, que já dormi em favela, que conheço pessoalmente todas as classes sociais, posso lhes garantir que é uma humilhação”, concluiu.

Fonte: https://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/12/inri-cristo-elogia-o-papa-mas-critica-o-natal-o-peru-acaba-pagando-o-pato.html

Conheça a entrevista na íntegra:

1. Como é que o INRI CRISTO comemora o Natal? Tem ceia tradicional, com peru e oração à meia-noite?

INRI CRISTO: “Não tenho motivo nenhum para comemorar Natal, primeiro porque é uma data em que os pagãos adoravam o sol, não tem nada a ver com nascimento de Cristo, e segundo porque nessa época do ano os pobres são humilhados pelos ricos quando não tem recursos para atender ao pedido de um filho e muitas vezes recebem uma esmola, uma migalha… Também não se deve culpar o peru e assassiná-lo só porque o imperador Constantino introduziu essa data do ritual pagão aos cristãos. O peru acaba pagando o pato quando os seres humanos se comprazem em ser escravos de fantasias pseudo-metafísicas e gravitam em torno de uma mesa esperando a hora do banquete, quando na realidade o peru é inocente, podia muito bem estar quieto no seu canto fazendo glu-glu-glu… Na graça de meu PAI, SENHOR e DEUS, à meia-noite estou reclinando a cabeça para no dia seguinte continuar respondendo às questões que me chegam de internautas do mundo inteiro, então não tenho por que ficar de plantão”.

2. Inri acha correta a forma como as pessoas celebram o nascimento de Jesus? Ele acredita que isso as aproxima de Deus?

INRI CRISTO: “Se eu tivesse pelo menos vindo ao mundo nessa data há dois mil anos, poderia até haver o que comemorar. Mas não tem sentido celebrar um evento que sequer aconteceu. Eu piso firme com os pés na terra, então não tenho por que celebrar ou comemorar uma data fictícia. Como já disse anteriormente, essa é a data em que os pagãos adoravam o sol (Natalis Solis Invicti), não tem nada a ver comigo. E Jesus, vale recordar uma vez mais, é um nome obsoleto. Meu nome novo é INRI, o nome que paguei com meu sangue na cruz (Apocalipse c.3 v.12)”.

3. O que não pode faltar no Natal para Inri? O que mais o emociona na data?

INRI CRISTO: “O que não pode faltar no pseudo-natal é a racionalidade. Quisera que, nessa data fictícia, os filhos de DEUS de repente se acordassem e percebessem que estão sendo enganados, trapaceados, induzidos ao erro. Essa data me emociona no sentido contrário quando vejo as crianças pobres sendo rebaixadas ao assistir pela mídia os atrativos do consumismo que só os ricos podem usufruir… Eu, que já dormi em favela, que conheço pessoalmente todas as classes sociais, posso lhes garantir que é uma humilhação. Deixo claro que não sou comunista nem capitalista e tampouco sou religioso; sou filósofo da liberdade consciencial. Também não sou cristão, sou Cristo, e vejo que tudo isso está muito errado. Sou partidário da coerência, da lógica e da verdade; sou racionalmente contra todas as fantasias impostas ao povo em nome de meu PAI, SENHOR e DEUS e em meu nome antigo, obsoleto, Jesus.

Mas meu PAI, SENHOR e DEUS, que escreve direito mesmo que por linhas tortas, nessas longas décadas em que estou aqui cumprindo minha missão, pela primeira vez propiciou que eu recebesse um presente nesta data fictícia. Recebi um presente do argentino superintendente da madona do Apocalipse c.17 quando vi pelo Jornal Nacional e outras mídias* que, em 22/12/2014, ele racionalmente reconheceu a enfermidade dos que vivem em Roma. Olhei bem e vi que ele estava inspirado ao advertir sobre a “esquizofrenia existencial”, o “Alzheimer espiritual”, etc. essas doenças todas que estão imperando na cidade das sete colinas, conforme eu mesmo vaticinei quando lá estive em 1983 e meu PAI disse pela minha boca no interior da Basílica de Pedro: “Seque, árvore enferma, seque! Seque para que a boa árvore*² que eu plantei viceje e me dê, e aos meus filhos, os frutos que tu me negas”. Finalmente percebi que, com a bênção do PAI, a luz começa a brilhar… Tinha que surgir da América do Sul justo um argentino para reconhecer que a árvore está enferma e mostrar a verdade perante os europeus, ao mundo, à humanidade. É claro que ele não conseguiu agradar a todos, como também não consegui há dois mil anos, nem vou conseguir agora, mas importa é que por um instante ele, inspirado, falou A VERDADE. Que tenham todos a minha paz!”

* https://br.noticias.yahoo.com/papa-diz-c%C3%BAria-sofre-alzheimer-espiritual-121419352.html

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/12/papa-diz-que-vaticano-sofre-de-alzheimer-espiritual.html

*²Quando o SENHOR menciona a boa árvore, Ele se refere à SOUST.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezenove − oito =