Entrevista de INRI CRISTO à Gazeta do Povo na íntegra sem cortes (outubro/2017)

INRI CRISTO: “Meus filhos curitibanos do coração, existem coisas que nos 24 anos em que a SOUST esteve sediada no Alto Boqueirão, em Curitiba, praticamente ninguém sabia. Então é mister que agora eu esclareça.

Antes de ser crucificado eu disse: ‘Um pouco e não me vereis, e outra vez um pouco e ver-me-eis, porquanto vou para o PAI. Todavia digo-vos a verdade: a vós convém que eu vá, porque se eu não for, o Consolador não virá a vós, mas quando eu for, vô-lo enviarei… Tenho ainda muitas coisas a vos dizer, mas vós não as podeis suportar agora… Quando vier, porém, o Espírito de Verdade, ele vos guiará no caminho da verdade plena, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e anunciar-vos-á as coisas que haverão de vir. Ele me glorificará, porque receberá do que é meu. Tudo o que o PAI tem é meu…’ (João c.16 v.7 a 16).

Quando eu disse ‘Ele receberá do que é meu…’, estava aduzindo, outrossim, às minhas vestes e por este motivo, no intuito de reavivar minha derradeira imagem antes da crucificação, ainda que sob o rugir das procelas inumanas, o grunhir dos porcos e o latir dos cães, obediente a meu PAI, reassumi a antiga indumentária: túnica, manto, sandálias, etc. Atentai que ao anunciar ‘o Consolador’, estava aludindo à reencarnação, meu renascimento físico, o meu retorno de carne e osso.

INRI é meu novo nome. Só os que ignoram minha presença física aqui na Terra e os obstinados em afrontar meu PAI, SENHOR e DEUS continuam invocando meu nome antigo, obsoleto, Jesus. INRI é o nome que paguei com meu sangue na cruz. I.N.R.I., INRI, o nome que Pilatos escreveu acima de minha cabeça quando eu agonizava na cruz, quando cuspiam em meu rosto, quando me ultrajavam, quando se cumpriam as Escrituras. INRI é o nome que custou o preço do sangue. Guardai-o em vossas cabeças e sereis fortes e felizes, meus filhos. Meu coração bate forte de amor por todos vós. Benditos são os olhos que me veem e veem quem sou. Benditos são os ouvidos que me ouvem e me reconhecem pela minha voz. Bem-aventurados sois vós, vós que me escutais, porque só vos falo o que escuto de meu PAI, Supremo CRIADOR, único ser incriado, único eterno, único ser digno de adoração e veneração, onipresente, onisciente, onipotente, único SENHOR do Universo.

Agora respondo às vossas perguntas. ”

-INRI, a SOUST ficou em Curitiba por 24 anos. Já li em muitos lugares declarações suas que afirmam que isso foi pré-determinado por Deus – o Senhor deveria ficar aqui até que os curitibanos não te chamassem por outro nome que não fosse INRI CRISTO. O Senhor também disse que foi Deus quem determinou que a SOUST deveria ficar na segunda capital mais alta do país. Mas como foi seu processo de mudança para cá? O Senhor já conhecia a cidade antes? Como escolheu o imóvel em que a SOUST ficaria sediada?

INRI CRISTO: “O SENHOR determinou que eu me situasse em Curitiba para cumprir o tempo mais cruciante da reprovação prevista em Lucas c.17 v.25 a 35 (‘Mas primeiro é necessário que ele (Cristo) sofra muito e seja rejeitado por esta geração. Assim como foi nos tempos de Noé, assim será quando vier o Filho do Homem…’), pois foi a cidade onde vivi o maior tempo de vida pública como profeta antes da revelação de minha identidade, que aconteceu no jejum em Santiago do Chile, em setembro de 1979.

A primeira vez que estive em Curitiba foi em 1962, fiquei albergado no antigo hotel Maia, que era um casarão de alvenaria atrás do hotel Hadashi